Abra sua empresa hoje mesmo conosco! Entre em contato! +55 (11) 4901-4316|contato@oliveiraefonseca.com.br

Demonstrações financeiras: quais são, o que são e qual a sua importância

//Demonstrações financeiras: quais são, o que são e qual a sua importância

Demonstrações financeiras: quais são, o que são e qual a sua importância

Demonstrações financeiras são relatórios contábeis que indicam a situação das finanças de uma empresa, que além de auxiliarem na organização do orçamento, ajudam nas tomadas de decisão.

A partir delas, é possível realizar a apuração dos impostos, controlar o fluxo de caixa, fazer melhores investimentos e administrar melhor todos as particularidades da empresa. Deseja conhecer mais sobre o que são e por que são tão importantes? Prossiga com a leitura do nosso artigo.

Qual a importância das demonstrações financeiras?

Através das demonstrações financeiras de uma companhia, os sócios, o setor financeiro e até mesmo um novo investidor podem toma decisões de uma forma bem mais segura. São elas que permitem, por exemplo, que sua empresa obtenha uma aprovação de financiamento, pois indicam os recursos disponíveis em caixa e as condições de pagamento para com as dívidas.

Essas demonstrações indicam quais são os gastos, os faturamentos auferidos, o retorno sobre investimentos e possibilita uma análise da saúde financeira em sua totalidade. Existem tipos diferentes de demonstrações financeiras: o Balanço Patrimonial, a Demonstração de Resultados do Exercício (DRE), Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados, o Fluxo de Caixa e a Demonstração do Valor Adicionado, além do complemento das Notas Explicativas.

Quais os tipos de demonstrações financeiras?

Balanço Patrimonial

Talvez considerada a principal demonstração financeira, o Balanço Patrimonial é o documento no qual a empresa consegue mostrar como está seu patrimônio, explicando a posição financeira atual da empresa.

É geralmente realizado ao final do ano, para realizar o acompanhamento do negócio de janeiro a dezembro.

Seu objetivo é equilibrar o patrimônio, analisando ativos, passivos e o patrimônio líquido. Nesta demonstração financeira, o objetivo é identificar os itens que geram benefícios econômicos, como as aplicações.

O Balanço Patrimonial apresenta duas colunas, uma para o ativo e outra para o passivo.

Na primeira, estão descritos os bens e direitos de uma organização, que é tudo o que gera valor para a empresa. Na coluna do passivo, são descritas as obrigações da empresa, como os valores a serem pagos.

A diferença entre o ativo e o passivo é o patrimônio líquido. Se o ativo é positivo, indica que a empresa está apta a arcar com seus compromissos. Caso contrário, é o cenário de “passivo a descoberto”, que indica que a empresa deve mais do que é capaz de pagar.

Demonstração de Resultados do Exercício (DRE)

  • A Demonstração de Resultados do Exercício (DRE) apresenta de forma vertical e resumida o resultado apurado em relação às operações realizadas em um determinado período, geralmente de 12 meses.
  • A DRE precisa discriminar:
  • A receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos;
  • A receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos e o lucro bruto;
  • As despesas com as vendas, as despesas financeiras, deduzidas das receitas, as despesas gerais e administrativas e outras despesas operacionais;
  • O lucro ou prejuízo operacional;
  • O resultado do exercício antes do Imposto sobre a Renda e a provisão para o imposto;
  • O lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.

Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA)

A Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados indica as alterações ocorridas no saldo da conta de lucros ou prejuízos acumulados, no Patrimônio Líquido.

A DLPA é obrigatória para as sociedades limitadas e outros tipos de empresas, conforme a legislação do Imposto de Renda (art. 274 do RIR/99).

A Demonstração de Lucros ou Prejuízos Acumulados deve discriminar:

O saldo do início do período e os ajustes de exercícios anteriores;

As reversões de reservas e o lucro líquido do exercício;

As transferências para reservas, os dividendos, a parcela dos lucros incorporada ao capital e o saldo ao fim do período.

Fluxo de Caixa

O Fluxo de Caixa é a demonstração financeira que indica a posição financeira da empresa dentro de um determinado período, seja diário, semanal, mensal ou anual.

É nesse registro que é possível avaliar quanto de dinheiro entrou e saiu da empresa em período de tempo específico, de acordo com análise do caixa interno, das aplicações financeiras e das contas bancárias.

O fluxo de caixa permite saber exatamente onde os recursos financeiros foram aplicados e quais as suas origens, oferecendo melhor controle sobre o fluxo financeiro.

Assim, com o fluxo de caixa é possível fazer um planejamento mais preciso sobre os recursos disponíveis e necessários para cada movimentação financeira.

Demonstração do Valor Adicionado (DVA)

A Demonstração do Valor Adicionado (DVA) é o informe contábil que evidencia, de forma sintética, os valores correspondentes à formação da riqueza gerada pela empresa em determinado período e sua respectiva distribuição.
Obviamente, por se tratar de um demonstrativo contábil, suas informações devem ser extraídas da escrituração, com base nas Normas Contábeis vigentes e tendo como base o Princípio Contábil da Competência.

A riqueza gerada pela empresa, medida no conceito de valor adicionado, é calculada a partir da diferença entre o valor de sua produção e o dos bens e serviços produzidos por terceiros utilizados no processo de produção da empresa.

A utilização do DVA como ferramenta gerencial pode ser resumida da seguinte forma:

  1. como índice de avaliação do desempenho na geração da riqueza, ao medir a eficiência da empresa na utilização dos fatores de produção, comparando o valor das saídas com o valor das entradas, e
  2. como índice de avaliação do desempenho social à medida que demonstra, na distribuição da riqueza gerada, a participação dos empregados, do Governo, dos Agentes Financiadores e dos Acionistas.
    O valor adicionado demonstra, ainda, a efetiva contribuição da empresa, dentro de uma visão global de desempenho, para a geração de riqueza da economia na qual está inserida, sendo resultado do esforço conjugado de todos os seus
    fatores de produção.

A Demonstração do Valor Adicionado, que também pode integrar o Balanço Social, constitui, desse modo, uma importante fonte de informações à medida que apresenta esse conjunto de elementos que permitem a análise do desempenho econômico da empresa, evidenciando a geração de riqueza, assim como dos efeitos sociais produzidos pela distribuição dessa riqueza.

Notas explicativas

As Notas Explicativas fornecem as informações necessárias para o esclarecimento da situação patrimonial da empresa, de determinada conta, saldo ou transação, ou de valores relativos aos resultados do exercício, ou para mencionar fatos que podem alterar futuramente tal situação patrimonial.

As Notas Explicativas poderão estar relacionadas a qualquer outra das Demonstrações Financeiras, como a Demonstração do Valor Adicionado ou Fluxo de Caixa.

As Notas Explicativas são frequentemente usadas para:

Apresentar informações sobre a base de preparação das demonstrações financeiras e das práticas contábeis específicas aplicadas para negócios e eventos significativos;

Divulgar as informações exigidas pelas práticas contábeis adotadas no Brasil que não estejam apresentadas em nenhuma outra parte das demonstrações financeiras;

Fornecer informações adicionais não indicadas nas próprias demonstrações financeiras e consideradas necessárias para uma apresentação adequada.

As demonstrações financeiras são a melhor forma de a empresa obter informações sobre a posição financeira e patrimonial, assim como entender o fluxo financeiro, informações que são fundamentais para que um administrador tome decisões mais seguras.

By |2018-12-13T20:58:38+00:00dezembro 13th, 2018|Contabilidade|0 Comments

Leave A Comment